padreamaral
Antes do desenvolvimento da meteorologia, os agricultores (e não só) sabiam ver no céu sinais de bom ou mau tempo, com base em obsevações passadas de pais para filhos. Com base nessas informações, muitas vezes acertadas nos seis resultados, faziam a melhor gestão dos seus trabalhos. Para lembrar esses ditos antigos, mas também para satisfazer os muitos que ainda preferem olhar os céus para prever o tempo, transcrevemos estas máximas escritas pelo Padre-Mestre João José do Amaral em 1850.

 

Prognósticos tirados da atmosfera

Estio húmido anuncia outono sereno

Estio muito seco é sinal de invemo rigoroso

Outono brilhante e invemo seco indicam primavera húmida

Inverno macio no seu começo acaba ordinariamente por frios tanto mais nocivos, quanto mais fora de estação vêm

Primavera quente dá no outono frutos bichosos

Primavera chuvosa dá muita palha e pouco grão

Primavera seca, estio húmido

Primaveras frias, colheitas tardias

Não tendo havido tempestade antes ou depois do equinócio vemal (a 21 de Março) tem de ser geralmente seco o estio seguinte - 5 vezes, pelo menos, em

6.

Tendo ocorrido tempestade, vinda de qualquer ponto oriental, nos dias 19, 2o ou 21 de Março será, de ordinário, pelo menos 4 vezes em 5, seco o estio

imediato

Levantando-se de qualquer ponto uma tempestade a 25, 26 ou 27 de Março, e não antes, será o estio seguinte ordinariamente seco, pelo menos 4 vezes em 5

Se do sudoeste ou do oeste-sudoeste arrancar uma tempestade a 19, 2o, 21 ou 22 de Março, será o estio seguinte húmido, em geral, e pelo menos 4 vezes em 5

Depois de um outono húmido com um macio invemo vem pela major parte, uma primavera fria e seca, o que quase sempre retarda a vegetação

Se o estlo for notavelmente chuvoso, é provavel que, por haver a extraordinária evaporação depauperado ou consumido o calor da terra, seja severo o seguinte invemo

Quando abanduntemente chover em Majo, escassamente choverá em Setembro e vice-versa

Tempestades violentas ou grandes chuvas, produzem tal crise na atmosfera que, por alguns meses, reina uma permanente (boa ou má) temperatura

Invemo pluvioso prediz ano estéril; e a outono desabrido seguir-se-á invemo ventoso

Chuvas repentinas são de curta duração; quando, porém, se turva gradualmente o ar e o brilho do sol, da lua e das estre-las é cada vez mais ofascado, dura seis horas, de ordinário, a chuva

 

Padre Mestre JOÃO JOSÉ DO AMARAL / ALMANAQUE AÇORIANO

COLABORE enviando a sua participação. EMAIL

Cozer feijões velhos

feijãoQuando guardados há muito tempo (anos mesmo) ou simplesmente mal acondicionados, os feijões podem demorar tempo a mais a cozer. Mas há soluções.

A menos...

A Tinturaria Vegetal em Alguma Ilhas dos Açores


Carreiro da Costa, 1957

tinturariaRemonta aos primeiros decénios de vida insular, a prática dos vários processos de tinturaria caseira, servida por elementos...

Cores das Ilhas

Tudo leva a crer que esta paleta de cores começou a ser formada com a visita do escritor Raul Brandão, que esteve nos Açores em 1924 e foi atribuindo a cada...

A Amoreira e a Sericultura

 

Carreiro da Costa, 1945

De entre os problemas económicos em equação no arquipélago dos Açores, o da sericicultura é dos que mais tem apaixonado aqueles...

Agave (Babosa)

Piteira, Babosa, Agave, Agave americana L.

agaveÉ uma planta muito disseminada nos jardins de algumas ilhas. Não sabemos se o  “Agave azul” (e a sua parente...

Alguns Estudos Científicos sobre Agricultura Açoriana

uac 0 1

Departamento de Ciências Agrárias

http://repositorio.uac.pt/handle/10400.3/3

 

A influência da paisagem, dos factores ambientais e taxa de infestação na...

Prognósticos Populares

padreamaral
Antes do desenvolvimento da meteorologia, os agricultores (e não só) sabiam ver no céu sinais de bom ou mau tempo, com base em obsevações passadas de pais...