Freguesia de Fajã Grande

População: 250

Actividades económicas: Agricultura, pecuária e pequeno comércio

Festas e Romarias: S. José (19 de Março), Santo Amaro, Espírito Santo (7 semanas depois da Páscoa), S. Pedro (29 de Junho), Nossa Senhora do Carmo (26 de Julho), Nossa Senhora da Saúde (8 de Setembro), Nossa Senhora do Rosário (Outubro) e Santo António (13 de Junho)

Património: Igrejas matriz e da Ponte e capelas do Espírito Santo, do Espírito Santo da Ponte, do Espírito Santo da Quada e de Santo António

Outros Locais: Ribeiras dos Puas Brancos, das Casas e do Cão, grota da Lombinha, ribeira de José Fraga, grota de Tio António Luís e grotão da Ponte

Gastronomia: Sopas do Espírito Santo, feijão com cabeça de porco, cozido à portuguesa, molho de Afonso com lapas, torta de erva do mar, inhame com linguiça, polvo guisado, filhós e folar da Páscoa

Artesanato: Cestaria, caravelas, cabaços e arranjos em miolo de hortênsia

Colectividades: Tuna Sol Mar, Filarmónica de Nossa Senhora da Saúde e Atlético Clube da Fajã Grande

Orago: S. Jos.

 

DESCRITIVO HISTÓRICO


É uma das freguesias menos povoadas deste concelho. Pertenceu sempre às Lajes das Flores, à excepção do período em que aquele foi suprimido. Entre 1895 e 1898, esteve pois no concelho de Santa Cruz.

A igreja paroquial, consagrada a S. José, foi reedificada em 1849 à custa das esmolas do povo. A capela de Santo António de Lisboa, por seu lado, é o mais recente edifício religioso da Fajã Grande. Foi construída em 1986. O património natural da freguesia inclui tudo, mas não deve ser deixada de parte uma visita ao grotão da Ponte, fabuloso conjunto de quedas de água.

Pin It