Freguesia de Manadas (Santa Bárbara) População: 420

Actividades económicas: Agro-pecuária, lacticínios, comércio e oficinas-auto

Festas e Romarias: Divino Espírito Santo (finais de Maio), festa do Emigrante (2.º fim-de-semana de Julho), Santo Cristo (1.ª semana de Agosto) e Nossa Senhora de Fátima (3.º fim-de-semana de Julho)

Património: Igreja matriz, fontanários, casa da Viscondessa, ermidas, moinhos de vento e ruínas do forte

Outros Locais: Fajã das Almas e miradouros

Gastronomia: Espécies, doce branco, esquecido, suspiros, queijo, massa cevada, papas de arroz doce, sopa do Espírito Santo, inhames, caldo de peixe e lapas

Artesanato: Bonecos de trapos e miniaturas em madeira

Colectividades: Sociedade Filarmónica Recreio Terreirense e Casa do Povo

Orago: Santa Bárbara

DESCRITIVO HISTÓRICO


A quinze quilómetros da sede do concelho, a freguesia de Manadas fica situada na costa sul da ilha de S. Jorge, no extremo oriental deste concelho de Velas. É composta por dois lugares principais: Manadas, no ponto mais alto da freguesia e longe da costa; e Terreiros, à beira-mar e no limite com Urzelina. Delimitam-na, além desta última freguesia, Biscoitos, Ribeira Larga e Norte Grande (pico da Esperança, o mais alto de toda a ilha).

Pelo facto de se encontrar relativamente perto da Calheta, outro concelho da ilha de S. Jorge, esta freguesia registou um crescimento populacional muito grande desde bem cedo. Ter-se-á constituído em freguesia ainda no século XVI. Não se sabe a data exacta, mas já era freguesia em 1599.

As fajãs são um dos símbolos da ilha e de todo o arquipélago. São também um dos símbolos, um dos “ex-libris”, desta freguesia. É o caso da Fajã das Almas e dos diversos miradouros naturais existentes. Por outras palavras, temos ali a natureza em todo o seu esplendor e as características que fazem dos Açores um dos pontos turísticos mais importantes em toda a Europa.

Do património edificado, deve salientar-se o solar de Miguel Teixeira Soares. Encontra-se no povoado de Terreiros e chama-se assim por ter pertencido ao riquíssimo proprietário açoreano daquele nome. Nasceu neste solar o Dr. João Teixeira Soares de Sousa. A arquitectura tradicional está também presente em Manadas, sobretudo através das construções junto das fajãs, com as adegas dos tempos em que o vinho daqui era famoso.

Com cerca de quatrocentos e vinte habitantes, Manadas é uma freguesia essencialmente agrícola. A pastorícia desempenha também papel de grande importância na sua economia. O próprio topónimo aponta para essa conclusão. No passado, os criadores exportavam os seus excedentes para Velas ou até para a Calheta, mesmo contra as convenções municipais sobre a matéria.

A obra “Viagens na Nossa Terra” descreve um pouco da freguesia de Manadas. Refere Norberto de Ávila, escritor local: “A descida para Urzelina. é uma alegria constante para o olhar. Sugerimos-lhe que, pouco antes de chegar a esta povoação, tome a estrada nova, que vai sair ao cimo das Manadas. Poderá então aproveitar e descer à pequena Fajã das Almas, Percurso de automóvel até um local com bela vista sobre a dita fajã e, bastante mais afastada, a fajã grande. Restam-lhe escassas centenas de metros a pé. Verá que é lugar agradável, bom sítio de banhos e de pesca. Manadas, terra de casas solarengas e velhas ermidas, orgulha-se da sua igreja de Santa Bárbara (século XVII), com talhas, azulejos valiosos e tecto de cedro trabalhado”.

Pin It