oidio macieiraFOLHA DIVULGATIVA:MACIEIRA SERIE PATOLOGIA Nº1
Autores: Drumonde Melo, C1.; Lorenzo Bethencourt, C.D2.; Prendes
Ayala, C2.; Giménez Mariño, C2.; Cabrera Pérez, R2. Horta López, D.J1.
(1Dept. C. Agrarias-Univ. Azores; 2UDI Fitopatología-Univ La Laguna)
Julho 2005
DOENÇA:
Português: OIDIO
Castellano: OIDIO
Inglês: POWDERY MILDEW
SINTOMATOLOGIA
Este fungo pode atacar folhas, flores e frutos. No caso das folhas, os primeiros sintomas observam-se apenas na página inferior sob a forma de manchas ou de zonas esbranquiçadas devido ao micélio do fungo. Na página superior podem-se observar zonas cloróticas que coincidem com as manchas brancas da página inferior. Esta doença pode estender-se por toda a página inferior, acabando por cobrir toda a folha por uma massa de micélio e por esporos com uma coloração esbranquiçada.
Os ápices dos ramos afectados apresentam um desenvolvimento reduzido, isto é, entrenós curtos e folhas impregnadas e quebradiças. Quando esta doença afecta as flores, os pedúnculos e as pétalas são as zonas mais afectadas.

Estes órgãos florais exibem uma coloração verde pálido, apresentando-se cobertos por uma massa de micélio e por esporos com uma coloração esbranquiçada a cinza prateado. Quando o ataque é muito severo, este fungo não só pode causar o atrofiamento das flores, como também ataca os frutos.

ORGANISMOS CAUSADORES
Podosphaera leucotricha (El. y Ev.) E. S. Salmón) (Anam. Oidium farinosum Cooke)
DISTRIBUIÇÃO:
Esta doença teve uma maior intensidade de ataque na zona de S. Sebastião, especialmente nos meses de Julho e Agosto. Nos Biscoitos esta doença apresenta-se de forma esporádica.
RECOMENDACÕES PARA O CONTROLO:
O programa de luta contra o oídio deve estar adaptado à sensibilidade de cada variedade de macieira.
Contudo, deve-se tentar eliminar através de podas as gemas terminais infectadas com oídio invernante, de modo a reduzir o nível primário de inoculo. Dado o elevado índice de propagação deste fungo fitopatogénico, as medidas de limpeza devem ser cuidadosamente executadas, de modo a atrasar de forma significativa uma epidemia secundária de oídio.

 

{pdf=images/biblioteca/pragas-doencas-regional/{pdf=images/biblioteca/pragas-doencas-regional/Patologia - 1 - Oídio - Macieira.pdf|100%|500|native}

Pin It

Cozer feijões velhos

feijãoQuando guardados há muito tempo (anos mesmo) ou simplesmente mal acondicionados, os feijões podem demorar tempo a mais a cozer. Mas há soluções.

A menos...

A Tinturaria Vegetal em Alguma Ilhas dos Açores


Carreiro da Costa, 1957

tinturariaRemonta aos primeiros decénios de vida insular, a prática dos vários processos de tinturaria caseira, servida por elementos...

Cores das Ilhas

Tudo leva a crer que esta paleta de cores começou a ser formada com a visita do escritor Raul Brandão, que esteve nos Açores em 1924 e foi atribuindo a cada...

A Amoreira e a Sericultura

 

Carreiro da Costa, 1945

De entre os problemas económicos em equação no arquipélago dos Açores, o da sericicultura é dos que mais tem apaixonado aqueles...

Agave (Babosa)

Piteira, Babosa, Agave, Agave americana L.

agaveÉ uma planta muito disseminada nos jardins de algumas ilhas. Não sabemos se o  “Agave azul” (e a sua parente...

Alguns Estudos Científicos sobre Agricultura Açoriana

uac 0 1

Departamento de Ciências Agrárias

http://repositorio.uac.pt/handle/10400.3/3

 

A influência da paisagem, dos factores ambientais e taxa de infestação na...

Prognósticos Populares

padreamaral
Antes do desenvolvimento da meteorologia, os agricultores (e não só) sabiam ver no céu sinais de bom ou mau tempo, com base em obsevações passadas de pais...