malassadaParticularidade
Bolos apresentados sob a forma de disco, de cor torrada e massa porosa.

Descrição
Bolos de forma cilíndrica, ligeiramente adocicados, com uma massa porosa
e a crosta ligeiramente tostada, cozidos sobre uma sertã de barro polvilhada
com farinha. A massa é feita com farinha, manteiga, açúcar, fermento
de pão e leite que baste.

História
As Malassadas são uma especialidade micaelense, própria da época carnavalesca.
Existem referências a estes fritos em Augusto Gomes e num artigo de
Carreiro da Costa. Acerca do seu nome existem duas versões: segundo uns
deveriam chamar-se Melassadas porque antigamente entrava na sua composição
melaço de cana, sendo neste caso a grafia mais correcta a de Melaçadas.
Outros, versão que parece mais certa, defendem que o nome Malassadas tem
origem no processo de fabrico do doce. Também no cancioneiro tradicional do
Carnaval há referência às Malassadas:

As filozes que nos puseres
Trazei-as numa razoila
Que a gente há-de se pôr nelas
Que nem porcos em papoila.

Uso
Comem-se e oferecem-se a pessoas amigas durante a época do Carnaval. Nos
bailes e assaltos do Carnaval serviam-se sempre Malassadas. O Dr. Carreiro da Costa, no artigo já mencionado, refere: «... nas cidades e nas vilas são os aparatosos
presentes de malassadas e sonhos um costume muito em voga».
Actualmente ainda se continua a servir Malassadas durante as festas de
Carnaval, na ilha de S. Miguel.

Saber Fazer
Mistura-se a farinha peneirada com o açúcar, faz-se um buraco ao meio, junta-se fermento diluído em leite, ovos batidos e amassa-se bem, juntando aos poucos o leite necessário para se obter uma massa branda. Vai a levedar, tendendo-se depois pedaços de massa que se esticam com os dedos, dando-lhes a forma desejada, após o que se fritam. Depois da fritura, polvilham-se com açúcar e canela.


In: Produtos Tradicionais Portugueses - Vol 1
Direcção-Geral de Desenvolvimento Rural
Lisboa 2001

Pin It

Cozer feijões velhos

feijãoQuando guardados há muito tempo (anos mesmo) ou simplesmente mal acondicionados, os feijões podem demorar tempo a mais a cozer. Mas há soluções.

A menos...

A Tinturaria Vegetal em Alguma Ilhas dos Açores


Carreiro da Costa, 1957

tinturariaRemonta aos primeiros decénios de vida insular, a prática dos vários processos de tinturaria caseira, servida por elementos...

Cores das Ilhas

Tudo leva a crer que esta paleta de cores começou a ser formada com a visita do escritor Raul Brandão, que esteve nos Açores em 1924 e foi atribuindo a cada...

A Amoreira e a Sericultura

 

Carreiro da Costa, 1945

De entre os problemas económicos em equação no arquipélago dos Açores, o da sericicultura é dos que mais tem apaixonado aqueles...

Agave (Babosa)

Piteira, Babosa, Agave, Agave americana L.

agaveÉ uma planta muito disseminada nos jardins de algumas ilhas. Não sabemos se o  “Agave azul” (e a sua parente...

Alguns Estudos Científicos sobre Agricultura Açoriana

uac 0 1

Departamento de Ciências Agrárias

http://repositorio.uac.pt/handle/10400.3/3

 

A influência da paisagem, dos factores ambientais e taxa de infestação na...

Prognósticos Populares

padreamaral
Antes do desenvolvimento da meteorologia, os agricultores (e não só) sabiam ver no céu sinais de bom ou mau tempo, com base em obsevações passadas de pais...