Freguesia de Norte Grande (Neves) População: 700

Actividades económicas: Agro-pecuária, lacticínios e comércio

Festas e Romarias: Divino Espírito Santo (finais de Maio), N. Sra. das Neves (5 de Agosto), Santo António (13 de Junho), Santíssimo Sacramento (quinta-feira do Corpo de Deus), N. Sra. das Dores (3.º domingo de Setembro) e N. Sra. de Fátima (13 de Outubro)

Património: Igrejas, fontanários e ermidas

Outros Locais: Fajãs do Ouvidor, Ribeira da Areia e d’Além, miradouros e pico da Esperança

Gastronomia: Sopa do Espírito Santo, bolos de coalhada, espécies, doce branco, cavacas, rosquilhas de aguardente e queijo, vêsperas, biscoitos, inhames e linguiça

Artesanato: Mantas de retalhos, rendas, bordados e miniaturas em madeira

Colectividades: Sociedade Fimarmónica Recreio dos Nortes, Sociedade Filarmónica Recreio Nortense e Grupo Folclórico da Casa do Povo de Norte Grande

Orago: Nossa Senhora das Neves e Santo António

DESCRITIVO HISTÓRICO


A dezoito quilómetros da sede do concelho, a freguesia de Norte Grande é uma das mais importantes de Velas. Encontra-se praticamente no meio da ilha de S. Jorge. É constituída pelos lugares de Ribeira da Areia, Santo António, Norte Grande e Fajã do Ouvidor.

Não se sabe a data exacta da criação desta freguesia. É posterior a 1570, segundo documentos desse anos, mas anterior a 1613, porque nesse ano já temos informações sobre a sua existência.

A fajã d’Além, desta freguesia, é uma das muitas fajãs do concelho de Velas. O caminho que lhe dá acesso é muito inclinado e estreito e só dá passagem a uma pessoa de cada vez. Muito visitada, no Verão especialmente, é rica em fauna marítima. Os peixes mais apanhados são a vege, a moreia, a anchova. As aves mais frequentes, por seu lado, são os garajaus, as garças, os cagarros e os estorninhos. Dado curioso desta fajã, o facto de o sol se esconder atrás das rochas ao longo de quatro meses do ano. Saliência ainda para um moinho, junto à ribeira das Queijadas.

Esta fajã, bem como as demais da freguesia, é constituída por mantos lávicos que se escoaram dos picos para o mar, por onde penetraram como línguas de tera. As arribas são talhadas no basalto. A 1053 metros, está o pico da Esperança.

Do património edificado de Norte Grande, uma referência para a ermida de Santo António, sede de um curato fundado em 1543, o mais antigo da ilha. Uma outra, consagrada a S. Miguel Arcanjo, foi fundada em 1633 pelo capitão Gaspar Nunes Brasil e sua esposa, Maria Simoa, no sítio da Ribeira de Areia.

Em “Viagem a Portugal”, Norberto de Ávila referiu-se a esta freguesia e aos seus principais lugares: “No Norte Grande, a poucos quilómetros, saia da estrada principal e inicie a descida para Fajã do Ouvidor. Logo a verá de um miradouro, bem implantada no mar, com a ilha Graciosa ao fundo. Do cais, terá uma boa perspectiva para terra, com as casas inseridas na paisagem, um pitoresco extremo de rochas de lava, uma piscina natural, um belo panorama da costa norte.

Regressando à estrada principal, siga até à Ribeira da Areia e desça à respectiva Fajã. Logo do miradouro se verão as casas e as adegas típicas, dispersas nas vinhas, sobressaindo numa rede de caminhos da bagacina avermelhada. Lá em baixo, uma excelente vista sobre a Fajã do Ouvidor, branca, intercalada no escuro da rocha e no verde das urzeiras.”

Pin It